Um Ano Depois…

Uluru

Oi pessoal! Aqui é a Brenda, filha da Carol, que está escrevendo. Como hoje é o dia em que completamos um ano da nossa vinda pra Austrália, não podíamos deixar de blogar. Acontece que minha mãe está tão empolgada com a comemoração que está passando mal (brincadeirinha – a parte da empolgação, quero dizer, porque ela está doente mesmo, infelizmente), e me pediu pra vir aqui escrever algo pra marcar a ocasião.

Como já tive que pensar bastante pra escrever sobre essa data especial lá no meu blog, no post “Um ANO de Austrália”, resolvi compartilhar com vocês uma tradução minha de um dos poemas mais famosos que exaltam esse país que virou nossa casa: “My Country” (Meu País), de Dorothea MacKellar.

“O amor pelo campo e moitas,
Pelo verde e pelas veredas sombreadas,
Pelas madeiras ordenadas e jardins,
Está correndo em suas veias.
Amor forte pela distância azul-acinzentada,
Córregos marrons e macios céus turvos,
Eu conheço mas não posso compartilhar,
Meu amor é diferente.

Amo um país bronzeado,
Uma terra de planícies vastas,
De uma cordilheira escarpada,
De secas e chuvas inundantes.
Amo seus horizontes distantes,
Amo a jóia de seu oceano,
Sua beleza e seu terror,
Esta vasta terra marrom pra mim.

As florestas de áspera cobertura branca,
Todas trágicas para a Lua,
As montanhas de névoa safira,
A tranqüilidade dourada do meio-dia,
A bagunça verde das moitas,
Onde as flexíveis trepadeiras se enrolam,
E orquídeas vestem as copas das árvores,
E samambaias aquecem o solo quente.

Essência do meu coração, meu país!
Seu incansável céu azul,
Quando doente no coração ao nosso redor
Vemos o gado morrer –
Mas as nuvens cinzas se ajuntam,
E podemos dar graças outra vez,
O rufar de um exército,
A constante chuva que encharca.

Essência do meu coração, meu país!
Terra do ouro arco-íris,
Por inundação e fogo e penúria
Ela nos retribui três vezes.
Sobre os pastos sedentos
Assiste, depois de muitos dias,
O indistinto véu de verdura
Que engrossa enquanto encaramos.

Um país de coração opala,
Uma terra teimosa, pródiga –
Todos vocês que não a amaram,
Não irão entender –
Mesmo a terra tendo muitos esplendores,
Aonde quer que eu morra,
Sei pra qual país marrom
Meus pensamentos patriotas irão voar.”

Ainda não conhece a Austrália? Então você não sabe o que está perdendo!

Quem quiser ler o poema em sua versão original do Inglês pode encontrá-lo aqui.

www.brendanepomuceno.wordpress.com

3 comentários em “Um Ano Depois…”

  1. ei amiga….
    ja escrevi no seu orkut, mas vale a pena escrever aqui tb….
    fico bem feliz em ve-la feliz depois deste tempo..
    alias nada como o tempo para mudar a perspectiva das coisas nao é?
    curtam muito pq quando souberem que nao embora vai dar um apertinho danado…
    eu ja posso dizer que estou gostando de morar aqui.. mas infelizmente o Marcos nao.. entao vamos embora em breve… ( inicio do ano que vem…)
    mas faz parte nao é? dividir a vida com alguem tb é ser flexivel ate ver o outro feliz tb… .)
    bjs!!!
    dani

  2. Com certeza amiga!
    Estou gostando sim e MUITO!
    Na realidade, nem quero esperar o tempo de ir embora prá curtir isso aqui… Como sei que vou mesmo uma hora dessas, então estou curtindo tudo ao máximo, vivo como turista, admiro tudo, curto tudo, tiro foto de tudooooo!
    Estou me esforçando prá visitar, passear, amar cada pedacinho desse lugar maravilhoso! Sei que vou sentir muita falta um dia!
    Então, preciso aproveitar enquanto eu posso!
    Certamente, dividir a vida é dividir tudo!
    Beijos!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s