“O Caminho Só Existe Quando Você Passa”

Estávamos num restaurante, no almoço de Ano Novo entre amigos, quando uma amiga muito querida veio com a boa do dia: “Olha só, a gente tem que falar qual foi a melhor coisa que aconteceu no Ano que passou e os nossos planos para o Ano que chegou!” Ainda bem que não fui a primeira a responder, porque tive tempo de pensar um pouco… E eu não tive dúvida! Nenhuma. A melhor coisa que me aconteceu em 2011 foi ter aberto o meu coração (e os meus olhos) para viver na Austrália. No Ano que passou, decidi de uma vez por todas que o passado tinha ficado para trás. Descobri que Deus mesmo tinha me trazido para cá e que isso tudo fazia parte de um plano maior. Em 2011, finalmente soltei as amarras que me impediam de ver, de sentir, de viver, de amar, de me doar de coração para este lugar e todas as novas experiências que a vida aqui me trouxe.

Sou uma pessoa de 100 por cento. Tenho que estar envolvida CEM POR CENTO em tudo que faço. Odeio meio termo. De todo o meu coração. Detesto segundo plano, plano B, segundo lugar… Eu sou assim. Se eu me envolvo, quero estar totalmente envolvida. É uma coisa meio passional mesmo. Quando eu acredito em algo, abraço uma causa, eu vou até o fim! Mas quando desacredito, fico em cima do muro, tenho a sensação de estar engessada! Nada flui… E mesmo amando esse lugar, a qualidade de vida, a beleza, a facilidade do dia-a-dia australiano, esse povo e tudo que tem a ver com essa terra maravilhosa, eu não estava 100%! Meu coração era sempre dividido. Confuso. Bagunçado. Incerto. E então, na Convenção de Mulheres da Planetshakers (Beautiful Woman 2011), logo na primeira noite, o recado veio do alto e veio em claro e bom som: “DON’T LOOK BACK! LET IT GO!”

Ufa! Foi como se eu tivesse tirado um peso-de-não-sei-quantas-toneladas das minhas costas! E finalmente, eu decidi não olhar mais para trás, deixar tudo onde deveria ter ficado desde o início! Naquela noite, eu abri meu coração para Deus e pedi que Ele realmente me abrisse os olhos e me deixasse ver… E eu vi! Vi de verdade, de coração aberto, aquilo que me parecia tão impossível! Coloquei o meu passado, a nossa vida no Brasil, as coisas que eram e não são mais, nos seus devidos lugares… E me atrevi a olhar pra frente! Me atrevi a fazer uma análise de tudo que vivemos aqui, de todas as coisas maravilhosas, das bênçãos incontáveis que temos recebido, morando nesse lugar; e finalmente eu compreendi: é algo DENTRO da gente! A Austrália não mudou, a minha vida não mudou, a minha família não mudou, a minha realidade muito menos; EU MUDEI, naquele instante!

Desde então, estou curtindo esse lugar COMO NUNCA! Até as coisas que me irritavam tanto, como o mau (não tão bom!) atendimento nos restaurantes, ou em lojas e afins, perderam o poder de me tirar do sério… Hoje, as coisas são como são, porque são… Entendi lá dentro o significado de vida dos australianos, “NO WORRIES”! Tá tudo bem! De fato, está tudo muito bem! Não há nada com que se preocupar… E a minha ficha caiu de um jeito, que percebi como fui injusta com Deus, com a minha família e até com alguns amigos, que tentavam me animar, exaltando as qualidades da vida em Down Under. Só posso perdir perdão, a todos eles! E dizer que realmente, o problema estava aqui dentro, bem no fundo de mim…

Se você mora fora, está para sair do Brasil, ou passando por qualquer tipo de mudança radical em sua vida, posso afirmar sem medo: procure DENTRO de você, porque está lá! É uma mudança de paradigma, um simples jeito diferente de olhar ou de pensar, uma pequena permissão dentro do coração, para que as coisas tomem outra forma e seus olhos se abram… Eu me deixei abrir. Deixei meus olhos serem abertos. E não me arrependo. Antes tarde, do que mais tarde. Ou nunca! A saudade não mudou, as pessoas que eu sempre amei continuam sendo amadas, continuam importantes para mim, exatamente da mesma maneira. AS PESSOAS que eu deixei no Brasil ainda me roubam algumas noites de sono, ainda me fazem derrubar algumas lágrimas, ainda me permitem sonhar acordada, mas elas não me merecem tão amarga. Se são dignas do meu amor, são dignas de uma Carol mais leve, mais sorridente, mais otimista com relação ao futuro, mais “feliz”, quem sabe???

E, para aqueles que acompanham o Blog, fazendo planos para a tão sonhada imigração, mais do que nunca eu digo: “Keep going”! Nunca desistam de seus sonhos! Valorizem cada momento, desde o planejamento, a vinda, o tempo por aqui, ou em qualquer lugar desse mundo! A vida é uma só. E é curta! Encontre o seu caminho. Ele de fato, só existe, quando a gente passa…

Feliz Ano Novo pra todo mundo, daqui de Melbourne, essa minha cidade LINDA!

19 comentários em ““O Caminho Só Existe Quando Você Passa””

  1. Ah!!!como é bom ver vc assim…eu sempre te disse que toda essa mudança sua era um presente de Deus! Vc é uma pessoa especial e merece presentes como esse, tb especial!!!!
    DEeus ama vc, minha irmã, de uma maneira única e tem dado sinais claros desse amor.
    Amo vc tb muito, minha irmãzinha querida!!!!Nossa pequenina!!!!
    Um beijo muito grande!!!!!

    1. Ô minha irmã, sei que você fica feliz quando me vê bem! E você está coberta de razão, Ele me ama e me mima muito! A Ele seja toda a glória, porque eu não mereço, né?!? É amor gratuito mesmo…
      Levei um certo tempo para ver e entender (e também acreditar, de todo o coração), que essa mudança era mesmo um presente, porque a saudade machuca demais! Porém, quando a gente coloca tudo na balança, amadurece, deixa a criança birrenta de lado e supera o “coitadismo”, consegue ver com clareza aquilo que Deus faz! E tudo que Ele faz é bom!

      Também te amo muito e sempre! Saudades que não acabam mais…

      Beijo.

  2. Carol este seu post me fez chorar. Você é minha inspiração. Há poucos minutos atrás eu estava questionando meu marido o fato de morarmos aqui, de ter deixado tudo pra trás e ele tentando me convencer de que foi a melhor decisão que tomamos.
    Você é minha inspiração! E como para Deus nada é impossível, vou em breve conhecer Melbourne e quero muito, mas muito mesmo te conhecer, nem que seja para um café com você.
    eu preciso abrir meu coração, don’t look back e agradecer por tantas bênçãos que temos recebido aqui nesta terra.

    Felicidades

    1. Puxa, Lourdes, não queria te fazer chorar, não! Risos…

      Espero que você venha logo conhecer Melbourne e a gente possa enfim tomar um café juntas!

      De coração, desejo que você se sinta feliz por estar aqui e encontre uma razão para viver o dia-a-dia tão longe da nossa Terra!

      Acredite, querida, para TUDO nessa vida há uma razão e um propósito. Quando a gente entende isso, bem lá no fundo, a jornada fica mais suave!

      Grande abraço!

  3. Ola Carol! tudo bom?
    gostei muito desse seu post, foi realmente inspirador, e pra escreve-lo aposto que sua inspiração estava em alta! isso é ótimo🙂
    tenho acompanhado seu blog ha algumas semanas, desde que botei na minha cabeça essa ideia de mudar para land down under.
    Seu blog chamou ainda mais a minha atenção quando encontrei um post onde vc disse ser de guará – pois é, sou de la tbm! Me mudei pra sp em 2008, e ultimamente comecei a ver outras opções fora de sp, até que surgiu essa idéia de ir pra bem longe, do outro lado do mundo.
    Estou pesquisando escolas de intercambio e a melhor estratégia pra ir pra australia, pra mim e minha companheira. ha quem diga que ir como estudante e se virar na australia vale a pena, outros que dizem pra ja tentar com tudo daki e ir “sponsored” já, pois minha área (TI) possui um emprego na skilled occupation list, então isso está sendo um atrativo grande pra mim!
    se vc puder dar uma pincelada sobre seu ponto de vista sobre essa minha situação, agradeceria muito! Estamos planejando essa estrategia td para executá-la em quem sabe 2 anos no máximo.

    bjs e boa sorte em sua jornada australiana!

    1. Oie Rafael!

      Que legal que você é de Guará! Muitos guaratinguetaenses já moraram (alguns ainda moram!) por aqui! Já tivemos almoços e jantares com uma galera conterrânea, o que é sempre muito divertido…

      Bom, TI realmente é uma mina de ouro por aqui! A coisa está em alta! Conheço gente que veio pelos dois meios: como estudante (e depois ficou) e como “sponsored”. Cada um tem sua vantagem e desvantagem, claro! O que você precisa saber é o que cabe melhor no seu bolso e nos seus planos.

      Você pensa em vir estudar Inglês, morar de vez, passar apenas um tempo??? Cada plano tem uma forma melhor de ação, mas sugiro que você dê uma boa lida no site de imigração do Governo Australiano. Ajuda muito a gente entender o processo todo…

      http://www.immi.gov.au/

      Boa sorte pra vocês também e espero que os planos de mudar aconteçam da melhor forma possível!

      Abraço.

  4. É tão ver um coração cheio da plenitude de Deus! Realmente, “Lâmpada pra meus pés, é tua palavra Senhor, e luz para o meu caminho”. Isso se fez real em vc qdo ouviu a voz do Senhor: “Deixe para trás” no encontro de mulheres. Continue na fé, lembre-se vc vive dela, e não do que vê ao seu redor🙂

    Na Paz,

    Paulo Quicoli

    1. Quésia, querida!

      Fico feliz por ser canal para “falar” ao seu coração… Deus é bom!

      Que Ele abençoe a todos nós!

      Beijo.

  5. Carol, acabei de conhecer seu blog e já estou apaixonada. Tenho paixão pela Austrália e uma vontade enorme de viver aí. Hoje mesmo eu e meu marido estávamos conversando sobre a possibilidade de vivermos 01 ano fora. Meu marido trabalha em TI (consultor de SAP), inglês médio mas tem 45 anos e li que a idade limite para conseguir visto de trabalho é 44. Eu tenho 44, inglês fluente mas minha área é secretariado executivo, não sei se tem campo aí. Outra possibilidade seria vendermos nossa casa aqui, comprarmos algo mais barato para termos nosso cantinho na volta e ainda uma renda com aluguel durante esse período e passarmos 01 ano sabático mesmo, gastando o dinheiro (talvez uns R$ 300.000,00) para vivermos esse sonho. Você acha que, com 02 filhos em idade escolar, mais gastos com aluguel, comida e passeios esse valor é suficiente? O principal motivo que nos faz ter vontade ir embora é a violência e as trambicagens dos políticos do Brasil; como temos 02 filhos (15 e 08 anos) tememos pelo futuro deles. Além disso, o custo de vida quando vc quer dar uma boa educação aos filhos é enorme, gastamos R$ 2.000,00 por mês só com escola e,embora meu marido tenha uma boa renda, temos uma vida bastante apertada e pouca qualidade de vida, com tantos gastos sobra pouquíssimo para o lazer. Desculpa, meu post ficou enorme mas é que esse assunto realmente me deixa animada, embora por enquanto seja só um sonho, já estou pesquisando para transformar em realidade. Se vc tiver alguma informação para me ajudar, agradeço,embora seu blog já seja de grande ajuda.
    Beijão
    Ana

    1. Oie Ana Luzia!

      Bom que gostou do blog, mas melhor ainda é ser apaixonada pela Austrália! Esse lugar aqui com certeza É DIGNO da sua paixão! A área do seu marido é bem forte por aqui e acredito que seja fácil pra você também, com Inglês fluente. Acho que a grana é suficiente sim, para passarem um ano! Vai depender de onde vão morar, se as crianças vão pra Escola Pública, enfim, detalhes. Mas pra um ano dá sim! O difícil vai ser ir embora depois! Hahahahaha! Aqui tem muito lazer barato, ou de graça. Eles são um povo totalmente outdoor, fazem picnics, passeios no parque, churrascos, andam de bike, comem Fish and Chips, enfim, dá pra ter uma vida muito gostosa e não gastar tanto…
      Claro que tudo depende do estilo de vida que se tem, onde se mora, o carro que se dirige, as marcas que se consome, mas dá pra viver numa boa.
      Gasta-se muito, mas ganha-se muito também.

      O importante é não deixar de sonhar, fazer as contas, o planejamento, e, no fim, se tudo der certo, se jogar na experiência, que será maravilhosa para toda a família, tenho certeza!

      Beijo grande.

  6. Muito obrigada pelas informações, Carolina. Estou muito empolgada com essa possibilidade mas sei que temos que pensar muito bem porque é uma grande mudança e realmente eu acho que ficar só 01 ano vai deixar um gostinho de quero mais na gente. Talvez a melhor opção seja meu marido sair da empresa que está hoje e tentar entrar em uma consultoria, de olho em algum projeto na Austrália, enquanto aguarda vai estudando inglês.
    Somos pessoas de hábitos simples, nao ligo para luxos e ou status, carros de luxo, nada disso. Gosto de gente, gosto de estar em contato com pessoas, de conhecer coisas novas, enfim, acho que a Austrália seria o lugar ideal para mim. O mais complicado seria meu filho de 08 anos, ele é muito apegado aos amigos da escola e precisa ter amiguinhos por perto. Tenho medo que não se adapte mas só sberei se estiver aí, não é?
    Grande abraço, você não imagina quão útil é seu blog para quem está querendo sair do país.
    Ana

    1. Por nada, Ana!

      Sei bem como é, vivemos os mesmos dilemas e questionamentos que vocês estão vivendo agora… Entendo totalmente você!

      Mas, se consola, posso te dizer que depois de um tempo, a gente vê como tudo acaba cooperando para o nosso bem e o bem da nossa família! Não me arrependo nem por um segundo de termos vindo! Tem valido a pena a cada momento!

      Fico feliz em ser útil, de verdade. Nasci pra isso! Me sinto realizada quando posso ajudar…

      Grande abraço e qualquer coisa, estou aqui!

  7. Oi, Carolina!
    Tudo bom?
    Seu blog é uma bênção pra quem está querendo se aventurar por terras Australianas.
    Eu e meu marido estamos sonhando com uma temporada em Melbourne em Fevereiro de 2013, para estudar inglês. Estou muito ansiosa e lendo tudo a respeito. Estamos orando pelo visto, pois achamos que será só por um milagre que ele vai sair… não temos casa própria, carreira sólida e nada que nos prenda aqui e que caracterize que iremos retornar… meu marido já está com 47 anos e mesmo assim teremos que ter ajuda do meu “pai”trocinador para ser o responsável financeiro por nós para o visto.
    Enfim, esse post me emocionou demais vendo o quanto terei que lidar maduramente com a falta de todos que mais amo.
    Fiquei curiosa… viver aí e trabalhar não dá condições de vir para o Brasil de vez em quando para matar a saudade da família???
    Sabe que o sonho é esse, né… ir estudar e acabar ficando, pensando em ter mais qualidade de vida e até um padrão um pouco mais estruturado do que temos aqui…
    Está nas mãos de Deus!
    Obrigada por compartilhar suas experiências conosco!!!
    Deus te abençoe!
    Luciana.

  8. Olá Luciana!

    Que delícia ver meu blog considerado como uma “bênção”! Olha, já vale todo o esforço…
    Sonhe e continue sonhando cada dia mais; os sonhos alimentam a alma, rejuvenescem o corpo e nos aproximam de Deus. Sem sonhos, a gente definha devagarinho.
    Sobre o visto, encarem assim: se Deus abrir as portas, quem poderá fechar? Façam a parte de vocês, ainda que contando com “pai”trocínio.
    Sobre a questão de não ter “nada” que prenda vocês aí, não seria essa uma boa forma de (re)começar algo em um novo lugar?
    A principal dica é a seguinte: façam tudo debaixo da direção Dele. Quando Ele tem um propósito pra gente, tudo vai acontecendo de maneira sobrenatural. Tudo vai confirmando a vontade Dele em nossas vidas…
    Sonhe, faça a sua parte e confie.
    A saudade é mesmo o maior desafio que encontramos vivendo longe; tem dias que dá vontade de sair correndo, a pé, a nado, o que for, só para estar ao lado de gente amada. Mas vamos sempre amadurecendo e aprendendo a administrar os sentimentos. A gente cresce, enfim…
    Com certeza dá pra ir ao Brasil, sim. Não é sempre, mas dá…Trabalhando aqui, sendo organizado com as finanças e tudo o mais, a gente consegue.
    Nesse momento, apenas orem. Que sejam todas as suas ansiedades e angústias apresentadas diante Dele; Ele certamente saberá o que fazer.

    Me passa um email de contato, assim a gente pode conversar mais e melhor. Estarei ajudando você e seu marido em oração, desde já…

    Grande abraço.

  9. Oi, Carolina!
    Obrigada pelo incentivo, carinho e orações.
    Estamos na fase de vender o carro para poder pagar o curso e passagens. Preciso descobrir se é melhor dar entrada no visto com apenas o meu curso e meu marido como meu acompanhante ou um curso pra cada… Estamos pesquisando o que é mais econômico e o que tem mais chance de dar resultado positivo, mas como você disse, Deus em primeiro lugar. Ele é quem pode nos direcionar para a melhor escolha.
    Vamos nos falando por email: lumatamala@gmail.com
    Bjss
    Luciana.

  10. Oi Carolina
    Achei seu blog por um acaso, aliás minha mãe achou.
    Imagino que eu esteja deixando ela um pouco aflita com a minha falta de amor por Melbourne. Moro aqui háum pouco mais de 1 ano e meio, sou casada com um Australiano. Morei 7 anos em Londres – UK e meio ano na Italia. Me adapto facil, porém não sei porque não acho Melbourne tão interessante, sinto saudades das pessoas que deixei no Brasil, alias o plano depois de tantos anos fora era voltar para lá, mas daí o amor me encontrou, e eu encontrei o amor… daí tudo mudou. Só que a saudade continua.
    Assim como você sou apaixonada por futebol, e me incomoda não conseguir acompanhar as partidas ao vivo (exceto quando os jogos são aos sábados), e tentar falar com as pessoas quando estou saindo para o trabalho, e elas estao indo dormir e vice-versa é dificil. Enfim, estou tentando me adaptar e fazer amigos, vou continuar seguindo seu blog, muito bacana, parabéns.
    o meu é http://infinitoviagens.blogspot.com.au/, estou atualizando aos poucos minhas aventuras.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s