O Poder de Cura da Auto-Permissão

Quem acompanha o meu Blog sabe que tento sempre animar a todos; levantar o astral, encorajar, motivar e dizer tudo que esse lugar tem de bom, de positivo, tudo que torna a Austrália um canto tão especial desse mundo! Afinal, se a minha opinião escrita não edifica, não encoraja e não motiva, nem acho que ela mereça ser ouvida (nesse caso, lida)! Porém, como todo mundo, tenho os meus dias de abrir os olhos e desejar voltar pra debaixo das cobertas e só sair de lá tipo, uns 2 meses depois… Nesses dias, a maior inimiga é a minha própria auto-motivação. Não me permito ficar chorando pelos cantos, resmungando, sofrendo, com pena de mim mesma. Nunca. Tenho técnicas altamente desenvolvidas para uso pessoal e divido isso com as outras pessoas. Quando acordo assim, começo logo a criar uma série de coisas pra fazer, tipo uma agenda de “renovo de ânimo” para o dia: vou passear pela linda cidade de Melbourne, sentar no meu café predileto, comer uma sobremesa divina de chocolate, sem nem pensar nas calorias; vou bater pernas no Shopping, ver vitrines, ou visitar meus pontos turísticos favoritos. Sempre funciona. E ensino isso para todas as pessoas que se sentem meio pra baixo por aqui…

Bem, longe de mim querer me contradizer, ou desabonar minha própria teoria de que, mudando de ares, de pensamento, de foco, de paisagem, as coisas vão melhorando dentro da gente. Acredito nisso. Faço isso. Vivo isso. Porém, hoje eu decidi me permitir… Acordei com uma saudade quase palpável, de tão forte. A presença dela era tão real, que quase pude vê-la e convidá-la para um café e uma boa prosa… Foi o que eu fiz! Não tentei fugir dela, nem enganá-la. Não criei subterfúgio algum para desviar a dor da mente, nem do coração. Ao contrário, me permiti sentir, com a força do meu coração! Chorei. Lembrei. Ouvi músicas. Revi fotos. Busquei fragmentos na memória, cheiros, cores, sabores, conversas, abraços, carinhos… Chorei de novo. Deixei recados nas timelines de alguns dos meus amores no Facebook. Declarei meu amor por eles. Chorei mais um pouco. Gastei algumas horas papeando no Skype com gente que amo  e sinto falta todo dia. E termino esse dia chorando mais um pouquinho e esperando minha mãe acordar lá no Brasil, pra poder ligar pra ela e falar do meu amor. E chorar mais um bocadinho, “no colo” de quem me socorreu a vida toda, quando eu sempre precisei…

Enfim, eu só queria que todas as pessoas pra quem já dei o conselho de superar a tristeza, dominar os pensamentos e as emoções ou mudar o rumo de um dia triste, soubessem que a gente se permitir sofrer em algumas ocasiões também é curador. Curtir um pouquinho de saudade, de amor não correspondido ou qualquer tipo de perda, também é um meio de extravasar a angústia de dentro do peito. Mas vamos combinar?  Amanhã a gente já retoma o controle da situação, certo???

A razão da minha saudade…

12 comentários em “O Poder de Cura da Auto-Permissão”

  1. As vezes leio seu blog que é muito legal por sinal..nem te conheço mas olha só…chegue MESMO até o fundo do poço, olhe ao redor e veja como é ruim estar aí nessa situação, SÓ assim vc vai encontrar forças para sair de dentro dele pois perceberá que a vida fora do poço é que faz a gente ficar mais forte…Abraços, Alexandre, Rio de Janeiro.

    1. Oie Alexandre!

      Obrigada por passar aqui às vezes! E obrigada por gostar do Blog! Mas sabe? Fundo de poço não é pra mim… Detesto lama! Hahaha! Curti minha tristeza ontem, mas hoje já me levantei! Já foi. Tentar ser forte é a minha missão de todo dia… Obrigada pela força, hein?!?

      Abraço.

    1. Ô minha irmã querida! Ainda bem. Eu precisava muito de você hoje. Falar com a mãe também foi curador!!! E tem como a gente conversar sem terminar rindo das coisas? Impossível, né? AMO! Beijos, a gente se fala…

  2. Oi Cá…escreveu sobre sua “angústia”, nomeou cada um dos seus sentimentos.É tão bom ler sobre “gente” que não tem medo de mostrar sua “humanidade”…Isso sim é estar firme!
    “Porque eu, o Senhor teu Deus, te seguro pela tua mão direita, e te digo: Não temas; eu te ajudarei.”saías 41:13
    Grande beijo e paz no coração!!!!

    1. Oie minha linda!

      Pois é, tem dias que preciso dividir para aliviar, escrever para organizar, exteriorizar para drenar…
      Mas não tenho mesmo medo de me mostrar, não. Sou assim, sou isso aí; dias de alegria, de sorrisos, dias de angústia e fossa! Mas eu me levanto logo e recomeço, sempre!
      Amém! Recebo essa palavra!

      Abraço forte de saudades…

      Beijo.

  3. Oi Carolina, lendo o seu post me fez lembrar dos meus primeiros anos aqui, muitas lagrimas, muitas saudades, “home sick” foi muito dificil de combater principalmente quando somos tao ligados a aqueles que deixamos no Brasil, mas sabe de uma coisa, aquele velho ditado “o tempo e o melhor remedio”, pode acreditar, e tao verdadeiro, nao cura a saudade,mas alivia muito. Abracos,
    Monica

  4. Obrigada pelo apoio, Monica. Espero mesmo que, com o tempo, meu coração encontre cada vez mais paz e serenidade, ainda que a saudade nunca passe… Infelizmente, eu não acredito que o tempo seja remédio pra nada; apenas acho que, conforme ele passa, vai tirando as feridas maiores de foco, ainda que elas nunca cicatrizem por completo.

    Grande abraço.

  5. Boa noite. Aqui no Rio de Janeiro são exatamente 19:23 hs. Li o seu texto e serei repetitiva em dizer que reconheço o Dom que você tem em verbalizar seus sentimentos (é muito lindo!!!). Ao terminar de ler pude lembrar de uma música que toca muito aqui em minha cidade, é cantada por uma Pastora chamada Flordelis e eu quero compartilhar com você esta linda letra. O nome da música é Questiona Ou Adora

    ” Me peguei perguntando:
    O que pode Deus fazer?
    Mudar todos os planos,
    Fazer o seu querer
    Fazer o que lhe apraz, sem dar explicação
    Conhecer teu sentimento, avaliar tua reação

    E se Ele não quiser fazer o vento cessar
    E se Ele não quiser o mar acalmar
    E no meio dessa tempestade
    apenas te restar a voz de um adorador

    E se Ele não quiser matar a faraó,
    Te levar lá no deserto e te deixar só
    E no meio da adversidade,
    um exército inimigo vier te afrontar, o que é que você faz?

    Questiona ou adora?
    Questiona ou adora?
    Se Ele nada fizer, me mostra a sua fé
    Questiona ou adora?
    E se Ele não quiser fazer o vento cessar
    E se Ele não quiser o mar acalmar
    E no meio dessa tempestade
    Apenas te restar à voz de um adorador

    E se Ele não quiser matar a faraó,
    Te levar lá no deserto e te deixar só
    E no meio da adversidade,
    Um exército inimigo vier te afrontar

    Nós vivemos num contexto onde tudo tem que dar certo
    Ou Deus faz, ou Deus faz
    Quando isto não acontece,
    Nos decepcionamos, nos frustramos
    E achamos que Deus nos esqueceu,
    Que Deus nos abandonou
    Mas na verdade Deus quer saber
    Se você é um verdadeiro adorador
    Então cante, adore!

    Eu prefiro adorar
    Se Ele nada fizer, eu uso a minha fé
    Eu prefiro adorar”.

    Boa noite e fique em Paz.

  6. Que o Espírito Santo de Deus te guie em toda a verdade.
    Mande lembranças para o Edmilson Rubinelli, no próximo sábado.
    Que a tua vida aí seja de paz, alegria, prosperidade e muita fé no Senhor Jesus Cristo, único Salvador daquele que nele crê.

    1. Olá Antenor…

      Quero mesmo que Ele me guie em toda a verdade. Sempre!
      Mas não conheço o Edmilson, a quem você se referiu. Esse mensagem era mesmo pra mim???

      Amém! Grande abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s