Quer Estudar na Austrália?

Essa semana tive o prazer de conhecer vários estudantes brasileiros em Melbourne, que vieram pra cá através do programa Ciência sem Fronteiras. Já tinha ouvido falar desse programa, mas não conhecia detalhes sobre ele.

“Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC. O projeto prevê a utilização de até 101 mil bolsas em quatro anos para promover intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Além disso, busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias definidas no Programa, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior.” (retirado da página do programa)

Conversando com os estudantes, fui descobrindo mais detalhes e me apaixonei pelo programa. Que oportunidade incrível nosso país tem oferecido para esses estudantes! E antes que comecem os “blá-blá-blás” sobre onde o Governo brasileiro deveria investir essa grana, deixo claro aqui que sou Professora e, como tal, QUALQUER investimento em Educação no Brasil, já ganha meu coração.

É fato que precisamos de investimentos em vários setores, especialmente na Educação de base; concordo e endosso. Porém, num país como o nosso, onde a grande parte do dinheiro arrecadado é destinado praticamente à corrupção, lavagem de dinheiro e roubalheira governamental, qualquer investimento na área da Educação deve ser engrandecido. Tenho lido bastante esses dias sobre o programa e me encantei! Quem me dera ter tido uma oportunidade como essa quando eu era mais jovem! De qualquer forma, segue aqui a dica para os estudantes universitários. As chamadas para o programa na Austrália já estão abertas e sugiro que você não perca a oportunidade.

Para mais informações, basta colocar “Ciência sem Fronteiras” no Google, para uma enorme quantidade de artigos, opiniões e informações sobre o programa. Mas não invista muito tempo apenas lendo, para não perder a data. Inscreva-se o quanto antes e depois aprofunde-se na leitura. Tenho certeza de que você também vai se apaixonar pela iniciativa! As inscrições estarão abertas até o dia 29 de novembro. Corre lá que ainda dá tempo! E boa sorte!

Segue de novo o site oficial do programa:

http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/home

7 comentários em “Quer Estudar na Austrália?”

  1. Carol, bom dia!! Vi que vc tem filhos e gostaria de saber se eles estudam em escola pública ou privada e se há diferença entre escolas publicas e privadas como há aqui no Brasil, obrigada…Ana

  2. Oi, Carol! É a primeira vez que escrevo um comentário aqui, mas acompanho seu blog há muito tempo, mas por causa do assunto, resolvi vir aqui.

    De fato, já um investimento por parte do governo brasileiro, e querendo ou não, entre ter nada e ter alguma coisa, ter alguma coisa é sempre bom, né? Afinal, tem que começar de algum lugar. Porém, a coisa não é só beleza não. Infelizmente, QUALQUER curso da área de Humanas está excluído do programa. Eu faço faculdade de Artes Plásticas e meu curso pro governo brasileiro vale chongas. Devem achar que a gente fica só desenhando e que isso não contribui em nada pra sociedade. Tenho amigos na área de Ciências Sociais e Jornalismo também, ambos da área de Humanas, que sofrem com o mesmo problema. Ou você vai por conta própria que, convenhamos, é complicadíssimo, já que um ano escolar em uma faculdade privada pode chegar a custar $60mil, dependendo do curso ou lamento, você fica só com o seu diplominha, sem acesso à tecnologia e sei lá, quem sabe você ganhe na loteria. Fora a alimentação, o transporte, material e aluguel.
    Como se isso não bastasse, você ainda dá de cara com mais dois problemas: gente que tem dinheiro e consegue bolsa pra ir estudar fora e gente que vai pra lá pra ficar passeando pra postar foto no Facebook e ficar comprando iPhone a um preço mais justo. O primeiro, bem, nós podemos dizer que as qualificações que o programa pedem não são se você pode pagar ou não; o direito tem que ser iguais pra todos, certo? Porém, se a pessoa tem condição de ir, perto da pessoa que não tem, quem é que aproveita mais? Não é desprezar, mas se a pessoa pode ir passar férias na Europa quando bem entender, que que é pagar um ano escolar lá fora. Já o segundo é a parte mais triste, o famoso “jeitinho brasileiro”, que tá sempre ferrando com qualquer programa que o governo faça, por mais que intenção seja boa. A pessoa ganha a bolsa e vai estudar fora, numa faculdade boa, tem acesso a tudo de mais novo e melhor, ganha uma bolsa pra se sustentar lá fora e que que ela faz? Vai passear. Vai comprar Macbook e iPhone pra ficar pagando de riquinho no Brasil, pra falar que tem, pra se mostrar pra galera e o pessoal achar “cool”. Daí, quando a pessoa acha que já deu, já cansou, começa a tirar nota ruim (porque tem que manter as notas pra manter a bolsa) pra poder voltar pra casa. Viajando de graça, comprando tudo o que os gringos tem sem gastar um centavo. Bom demais, né?
    Com isso, Ciências Sem Fronteiras é chamado “carinhosamente” de Ciências Com Fronteiras e Turismo Sem Fronteiras.

    E pra não parecer que é pouco caso ou qualquer outra coisa da minha parte, basta entrar nos grupos relacionados no Facebook que você vê esse tipo de coisa.

    Enfim, a iniciativa é realmente boa, porém deveriam mudar o nome do programa, já que os investimentos são restritos à área de saúde e tecnologia, basicamente. Educação que é bom, a gente continua sem. Devem pensar que se a gente fizer o país virar de primeiro mundo, o resto se resolve sozinho.

    Beijo!

  3. Oi carol, eu tava procurando no Google depoimentos de pessoas q moram na autralia e encontrei vc! Muito legal esse programa q dà A opotunidade de estudantes saírem do brasil para expandir seus conhecimentos e tb a conhecer outra cultuta ne.
    Eu moro no Japão tem um ano e alguns meses, vim para morar e trabalhar. só. Que eu n quero me acomodar aqui, eu estudei inglês no Brasil e agora estou querendo aprimorar meu inglês e quem sabe fazer uma faculdade tb.queria muito a sua ajuda, quero encontrar um intercâmbio. Você me ajuda?! Me manda email se possível, muito obrigada desde já. Gisele. Meu email, gisele_uto@hotmail.com

    1. Obrigada Lemuel! Bom que você gostou…

      Pesquise mesmo. A Internet está aí e nos bombardeia com informações pra todo lado. Basta querer e investir tempo, com carinho.

      Boa sorte!😉

  4. Carol amei seu blog. Neste momento estou pesquisando tudo que é relacionado a Australia, pois minha filha de 15 anos estará fazendo high school em Gold Coast a partir de Jan de 15. Como nós somos evangelicos, gostaria de saber se existem igrejas Batistas em Gold Coast.
    Bjs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s