Vai mudar para a Austrália? Pergunta lá!

Esse micro post é para a galerinha que em breve estará de mudança aqui pra Aussieland. Sei que tem muita gente quase chegando e eu ainda não tive tempo de responder a todas as perguntas por aqui ou pelo email. Faz o seguinte: me segue no Snapchat e no Instagram. Tô lá o tempo todo, porque carrego o celular comigo pra todo lugar. Assim, fica mais fácil (e rápido) de dar um help imediato para quem tá com urgência! E de quebra, você ainda aproveita pra conhecer um pouco mais sobre Melbourne… Nos falamos em breve (agora ficou fácil, hein?!?) ;D

IMG_6462

IMG_6463

Anúncios

White Night Melbourne 2014

E lá fomos nós para a segunda edição do evento mais incrível da cidade! Noite linda e perfeita, estava até friozinho… Melhor que isso, só ter ficado lá até as 7 da manhã, como eu tinha planejado! Porém, mesmo indo embora mais cedo, consegui realizar um sonho de muitos anos atrás: dançar numa chuva púrpura! Confesso publicamente que sempre fui fã da música Purple Rain, do Prince. Ano passado minha apreciação por ela cresceu (e muito!), quando a vencedora do The X Factor Australia, Dami Im, interpretou a música DE FORMA ESPETACULAR! Desculpe Prince, mas você não tem a menor chance depois disso! Renovado o meu gosto pela tal música, sempre ficava imaginando aquela chuva. E ontem tive a alegria de poder dançar, cantar, rir e brincar na chuva púrpura! Parecia criança! Mas nem liguei… Aproveitei cada segundo!

Purple rain foi um dos programas da White Night Melbourne desse ano. Para saber mais sobre o evento, leia meu post do ano passado. Purple rain é uma inesquecível experiência sensorial que provou ser uma das obras mais populares da “Nuit Blanche” em Paris. É composta por uma instalação sonora e visual deslumbrante, que estimula você a pegar um guarda-chuva e passear na chuva de cor de púrpura. Referenciando a trilha composta pelo famoso músico Prince, o artista francês Pierre Ardouvin literalmente interpreta o espírito melancólico dos anos 80, com a trilha sonora penetrante para corresponder.

 “Roxa é a cor das horas pequenas, aqueles momentos de transição…Entre  o triste e o sublime. Como  o arco-íris,  um sorteio de noites brancas sobre o roxo em suas fronteiras…”- Guillaume Désanges

As  instalações, esculturas, fotografias e desenhos  de Ardouvin buscam invocar visões  de cenas ou objetos que  nos parecem familiar, criando um sentimento, muitas vezes inquietante, de “déjà-vu”. Em seus últimos trabalhos, as emoções são transmitidas através da  sua descrição precisa e artificial na própria natureza. Como que invadindo um set de filmagem, não há nenhuma tentativa de esconder o evento encenado. Com um incentivo ao público para confundir transtorno com nostalgia, este chuveiro ultravioleta é uma reflexão pessoal do artista, em um período de extrema extravagância, fervor e contradição.
Enfim, entre tantos outros eventos extraodinários, terminei a noite realizando um desejo antigo. Viver em Melbourne tem me trazido tantas coisas boas, tantas experiências incríveis, que só posso ser grata de todo o meu coração. Continuo fechando os olhos toda noite antes de dormir e minhas últimas palavras são sempre as mesmas: Obrigada, obrigada, obrigada Deus!
Chega de blá blá blá; vamos às fotos e vídeos! Espero que gostem! = )

Este slideshow necessita de JavaScript.

E Ele É Mesmo Brasileiro!

Não sei se vocês estão lembrados, mas em março desse ano, escrevi rapidamente sobre o concurso The Best Jobs In The World, oferecendo ao mundo 6 incríveis vagas aqui na Austrália. Terminei despretensiosamente meu pequeno post, comentando que seria muito legal ter um brasileiro trabalhando em um dos cargos disponíveis. Acompanhei por um tempo as notícias sobre o processo de recrutamento e entrevistas, mas acabei esquecendo do fato. Para a minha total alegria, dias desses “tropecei” na notícia de que um brasileiro REALMENTE foi escolhido na categoria Lifestyle Photographer, para trabalhar na revista Time Out Melbourne.

Sei que estou bem atrasada com a notícia e que o resultado já saiu faz tempo, mas queria muito deixar registrada minha satisfação em ver o brasileiro Roberto Seba desempenhando sua função de Fotógrafo por aqui. Para quem quiser acompanhar sua trajetória durante o período em Down Under, é só curtir a página dele no FACEBOOK e também dar uma conferida no seu INSTAGRAM, repleto de fotos lindas. Vale a pena gastar uns minutinhos conhecendo mais do trabalho dele e, de quebra, conhecer mais dessa cidade maravilhosa, que eu “amadoramente” tento divulgar e mostrar aos meus leitores brazucas.

Como eu “disse” pro Roberto no Instagram dele dia desses, não sei quem tem mais sorte: se ele, pelo privilégio de passar esse tempo aqui nessa cidade incrível, ou se Melbourne, por ter um brasileiro desempenhando apaixonadamente essa função. De qualquer forma, vale conferir o trabalho dele nas redes sociais e ver a cidade por outros olhos e ângulos. Tenho certeza de que o excelente trabalho dele vai contribuir muito para que os brasileiros se encantem ainda mais por essa cidade linda e seu peculiar dia-a-dia…

1002062_529908413724960_657542815_n
Foto do Facebook do Roberto Seba

Os Melhores Empregos Do Mundo

E novamente a Austrália começa a campanha para o melhor emprego do mundo! “Em 2009, a empresa de turismo Tourism Queensland já realizou uma ação semelhante: naquela altura, os candidatos de todo o mundo competiram para o cargo de zelador da Ilha Hamilton. Este ano, os estrangeiros são convidados a trabalhar como um comentarista de “social media”, um especialista em boa comida e bebida, um aventureiro no outback, um ranger de parque nacional, um fotógrafo e um perito na supervisão da vida selvagem. Os candidatos aprovados terão a oportunidade de ganhar mais de $ 100 mil por 6 meses e, em seguida, voltarão para casa” (Radio Voz da Russia).

Para os interessados, seguem a página de divulgação no Facebook e o vídeo apresentado pelo vencedor da primeira campanha, Ben Southall, que trabalhou na Ilha Hamilton. Seria muito legal ter um brasileiro trabalhando em um desses cargos, não seria???

Detalhes das vagas e como se candidatar.
Detalhes das vagas e como se candidatar.

https://www.facebook.com/AustralianWorkingHoliday

5 Coisas Imperdíveis Em Melbourne (III)

Melbourne é uma cidade totalmente cosmopolita, respirando diversidade, cultura, música, arte, e também repleta de atrações para todos os gostos (e bolsos, é claro!). É impossível passar um tempo por aqui sem ter a sua própria lista de coisas incríveis para sugerir. Quanto mais eu vivo aqui, ando, conheço e exploro, mais me apaixono e mais quero compartilhar. Numa lista que era pra ser de cinco, já tenho mais de DEZ coisas legais para indicar. A sugestão de hoje é pra quem gosta de frio, ou, pelo menos, para quem consegue passar frio e ainda se divertir…

3. Chill On Ice Lounge – (BAR DE GELO) NO SOUTHGATE COMPLEX:  imagine se sentir no meio de um inverno profundo na Antártida, mas estando no coração de Melbourne??? Você poderá desfrutar de uma bebida, rodeado por mais de 50 toneladas de gelo esculpido, numa temperatura de -10 graus. Tudo dentro do bar é feito de gelo – desde os bancos, o sofá da sala de estar e até mesmo o copo em que você vai beber! O local conta com uma iluminação especial que define o tom, fazendo com que rapidamente você entre no clima “glacial”, em meio a esculturas de gelo lindamente esculpidas, criando uma decoração incrível! Logo na entrada, são fornecidos  casacos, luvas e botas de lã, para que todos sejam mantidos quentes e confortáveis no espaço mais legal de Melbourne. Os coquetéis e bebidas de frutas são servidos em copos feitos inteiramente de gelo, que você vai saborear enquanto desfruta de música legal e um serviço acolhedor, em um ambiente totalmente único. O bar de gelo é uma experiência deslumbrante, que verdadeiramente transforma uma simples saída turística num momento inesquecível. Vale a pena conferir! Quando recebi a visita de uma amiga muito querida do Brasil, a gente deu uma passadinha por lá…

Minha querida amiga Carol Araújo e eu, aproveitando o “friozinho” bom do bar de gelo!

A Número Um – “It’s Official: Melbourne Is The Best” – Herald Sun

Muitos me enviam emails aqui pelo Blog, desejando saber sobre a qualidade de vida em Melbourne. Quando li as reportagens sobre a última pesquisa com o ranking das melhores cidades para se viver NO MUNDO, sabia que iria virar um post. Um post muito orgulhoso, afinal. Um post de alguém que ama Melbourne, vive aqui e está sempre falando bem da cidade para todo mundo! As reportagens são do último dia 30 de agosto, como um presente em comemoração aos meus 3 ANOS DE AUSTRÁLIA!

O novo ranking ficou assim:

1 Melbourne, Australia
2 Vienna, Austria
3 Vancouver, Canada
4 Toronto, Canada
5 Calgary, Canada
6 Sydney, Australia
7 Helsinki, Finland
8 Perth, Australia
8 Adelaide, Australia.
10 Auckland, New Zealand

Melbourne liderou o ranking bianual de 140 cidades, com uma pontuação de 97,5 por cento, à frente de Viena, com 97,4 por cento, mostrou a pesquisa. As cidades são avaliadas em estabilidade Política e Social, índices de criminalidade e de acesso a Saúde de qualidade. A pesquisa também mede a diversidade e padrão de eventos culturais e do ambiente natural, a Educação, e o padrão de infra-estrutura, incluindo transportes públicos.

Se você quiser ler as reportagens oficiais (em Inglês), dê uma olhada nos endereços abaixo:

Melbourne world’s best city, says Economist Intelligence Unit survey

Melbourne ranked the world’s most liveable city as other cities lose points in survey

Melbourne, A MELHOR!

Que Mundo Pequeno!

Hoje eu acredito muito nisso. Ele é pequeno mesmo. Se a gente está aqui, vivendo no mesmo momento, a gente pode se encontrar! Talvez hoje eu acredite mais do que antes, já que essa minha experiência de viver longe do meu país tem me propiciado encontros muito interessantes ao redor do Globo. Você já parou para pensar em quantas vezes acontecem coisas que te levam à exclamar: “Nossa! Que mundo pequeno!”?

Uma delas aconteceu em Dubai, quando eu estava em uma das lojas do nosso hotel, comprando alguns “souvenirs” e falando pelos cotovelos! Logo uma brasileira se aproximou e pronto: o papo rolou solto! Estive em Sydney duas vezes e, nas duas, encontrei brasileiro em vários lugares… Aliás, hoje eu tenho uma teoria pessoal: brasileiro e chinês têm em tudo quanto é canto do mundo! Dão em árvores. Eles proliferam. Multiplicam-se. E eu adoro! Quando eu encontro um brasileiro, é uma festa prá mim! De verdade… Nunca fui daquelas pessoas que saem do país e fogem das suas raízes. Ou negam suas origens. Ou não querem deixar a conversa em Português “atrapalhar” sua aprendizagem no Inglês. Eu CURTO encontrar um conterrâneo.

Depois de quase 3 anos (pasmem! Já estou quase lá…) morando aqui em Melbourne, essa semana, pela primeira vez, encontrei gente falando Português no trem! Sempre tento ouvir as “trocentas” línguas sendo faladas ao meu redor e fico brincando de tentar identificá-las, já que não entendo nada! E dessa vez, me peguei alegremente (que coisa feia!) ouvindo e entendendo a conversa alheia! Não resisti e soltei um sonoro: Nunca tinha ouvido gente falando Português dentro do trem antes! Nem preciso dizer que o papo fluiu, trocamos telefones e essas coisas…

Também tenho tido o prazer de conhecer pessoalmente algumas pessoas que fizeram um primeiro contato comigo pela Internet, através do Blog ou Redes Sociais. São poucas, mas fico feliz em poder ajudar uma pessoa virtualmente, e depois poder encontrá-la aqui no meu mundo real. E para comprovar que o mundo é mesmo pequeno, no último domingo, na Planetshakers, encontrei pela primeira vez um amigo virtual, para quem dei algumas dicas sobre a vida em Melbourne através do Blog. Até aí tudo bem, porque eu mesma indiquei a Igreja prá ele. Mas advinhem? Lá estava o Rafael (meu leitor assíduo!) com o Marcos, uma das pessoas que conheci no trem!!! Mundinho, mundinho. Hahahahahhah!

E há quem diga que na Austrália não tem muito brasileiro. Ainda estou tentando descobrir sobre qual Austrália essas pessoas estão falando. A minha tem muita gente da Terrinha… E isso me faz sorrir, me faz sentir um pouquinho mais “em casa”, enquanto a gente troca experiências e joga papo fora. Em bom e claro PORTUGUÊS, of course!

E eu aproveito prá compartilhar uma matéria do Jornal Hoje, sobre intercâmbio na Austrália e, de antemão, posso AFIRMAR: impossível viver aqui sem brasileiros ou a Língua Portuguesa ao seu redor! E quer saber? Com certeza, essa é uma das coisas que nos sustentam por aqui e diminuem aquela sensação de buraco que a gente sente na boca do estômago, por estar vivendo Tão Tão Distante!

*Apenas uma pequena correção: são 13 horas de diferença, não 12, como foi falado na reportagem.