O Porquê do ‘Vai Corinthians’

“O Corinthians é a maior expressão de quem somos. Vez por outra, algumas pessoas perguntam o porquê do ‘Vai Corinthians’. Curiosos, tentam entender porque inevitavelmente exclamamos ‘Aqui é Corinthians’.

Qual seria o significado destas exaltações?

A mágica de ser corinthiano não se revela somente no ato de torcer pelo Timão dentro das quatro linhas. O jogo do Corinthians é uma forma de interpretação da realidade. A maneira como celebramos as vitórias ou lamentamos as derrotas é uma representação da vida da nossa gente. O sofrimento, a superação, a desilusão, o engano, a paixão, a época de vacas gordas, ou as vezes de vacas magras… A sorte, o revés, a resignação e a euforia. A plena compreensão de que nada vem fácil na vida da gente.

Nada do que acontece dentro de campo pode fazer sentido sem que haja uma correspondência com a vida social cotidiana. Mas tal qual aquele ditado em que ‘a vida imita a arte’, podemos dizer que além do Corinthians jogar o jogo como a gente joga a vida, o contrário também é verdadeiro, ou seja, experimentamos nossa vida reproduzindo a cada momento uma espécie de ética corinthiana. Uma ideologia que aspiramos nas partidas de futebol, de alguma forma passa a orientar o nosso comportamento.

Tentarei ser um pouco mais claro.

Quando alguém te oferece uma cerveja, mas revela timidamente que vai te servir naquele famoso copo do requeijão, você responde: ‘Por favor, aqui é Corinthians!’.

Você é chamado para uma entrevista de emprego. Um trabalho que você esperava há tempos. Ao entrar na reunião você murmura quase em silêncio: ‘Vai Corinthians!’.

Ao ajudar um amigo com a mudança, ou mesmo dar aquela força para carregar cimento e “encher a laje” da casa que o cara está construindo com muito esforço. Se o camarada demonstra gratidão e oferece um abraço, é muito comum chegar no cara e dizer: ‘ô mano, é nois. Cê ta ligado que Aqui é Corinthians!’.

A mulher da tua vida sorri para você. Olha nos seus olhos e te oferece um beijo. O beijo que você esperou durante dias, semanas, meses ou talvez a vida inteira. Ao voltar para casa você dará socos no ar e vai gritar para a rua inteira escutar ‘Vai Corinthians!’.

Ano novo. Vamos estourar um Champanhe? Só tem Cidra. Tem problema? Adivinha: ‘Aqui é Corinthians’.

Bateram no seu carro. Ele estava sem seguro. Você terá de trabalhar meses para arrumar o carango. Bola pra frente. Vai Corinthians!

Quem nunca ouviu essa frase: ‘Oi filho, seja bem-vindo na minha casa. A casa é simples, mas recebe todo mundo muito bem. Não repara a bagunça’. Inevitável resposta: ‘Tia, aqui é Corinthians’.

Você foi promovido? Vai Corinthians.

Sua filha se formou na faculdade? Vai Corinthians.

Vai para a balada? Vai Corinthians.

Preserva e admira as coisas mais simples da vida? Aqui é Corinthians.

Identificou-se com este texto? Aqui é Corinthians!

Moral da História: ‘Vai Corinthians’ e ‘Aqui é Corinthians’ são elogios a simplicidade. Demonstram uma satisfação com a própria identidade. Uma afirmação da nossa origem.

O Corinthians é a maior expressão de quem somos. Ele joga no campo reproduzindo nossa realidade. Alguns acham que temos sorte, fazemos gols no final do jogo, vencemos pelo cansaço. Outros que jogamos com raça. Tudo bem. Isso não deixa de ser verdade. Mas o que conta no final das contas é o seguinte: o Corinthians tem presença de espírito.

Nós somos o Corinthians. E o Corinthians também está dentro de nós.

Aqui é Corinthians.”

Recebi esse texto fenomenal hoje, por email, de um amigo corinthiano, que está no Brasil. Amei, logo de cara, lógico! Como sou contra postar sem reconhecimento de autoria, recorri ao bom e velho Google, que me direcionou ao Blog do Rafael Castilho. Tiro o chapéu pra você, meu querido! Perfeito! Porque aqui é Corinthians, até na AUSTRÁLIA!

Meu Time na Final da Libertadores 2012

Não é segredo pra ninguém que uma das coisas mais complicadas pra mim aqui em Down Under é a falta que o futebol me faz… Quarta a noite e tarde de Domingo sem futebol, foi difícil de me adaptar! Ainda sinto muita falta de um bom (ou ruim mesmo) jogo nesse dias e horários! Mas a gente se vira com o que tem e assiste pela Internet, quando a conexão permite. Até um tempo atrás, existia um provedor de canal por assinatura, fornecendo a Globo Internacional; porém, fiquei sabendo que o provedor não está mais disponível no momento, para a tristeza dos brasileiros de plantão… De qualquer forma, estou sempre acompanhando meu Corínthians, com a mesma paixão e alegria, especialmente nessa Campanha incrível rumo à conquista do nosso primeiro Título na Libertadores da América. Mesmo de longe, já estou aqui preparadíssima para o primeiro jogo da Final, torcendo com todo o meu amor, coração e ânimo pelo meu Time! Sinto que esse é o nosso ano!!! Bem, se não for, também não importa, porque eu vou continuar amando o meu Timão… Na realidade, independente de resultado, “eu nunca vou te abandonar, porque eu te amo, Corínthians!” Afinal, se a gente abandona, nem era amor, certo??? Vaaaaaaiii Corínthiaaaaannnsss!!!

Para Quem Não Viu No ESPORTE ESPETACULAR!!!

Uma reportagem que foi ao ar no Esporte Espetacular desse último domingo é imperdível! Conta a história de um ídolo australiano, que é brasileiro. E, para quem não sabe, o Collingwood, o time dele, é o nosso Corínthians Aussie! Mesma cor, mesmo estigma de ser o time da grande massa, mesmo tipo de paixão desenfreada, quem não AMA, odeia, compreendem??? Por isso, aqui em casa nós torcemos por ele, claro! Vale a pena ver o vídeo, que você poderá acessar clicando aqui! 

Já tinha falado do tal esporte “desconhecido” aqui no meu Blog, mas a reportagem fez até o desenho da trave! Valeu! Confira o que eu escrevi em artigos antigos, sobre o melhor time de Footy de todos os tempos, em postagens como AFL, no emocionado Meu Primeiro Título no Footy e também no Australiano tem Cada Uma!

Todos os posts falam um pouquinho sobre o esporte! Mas, só para esclarecer um detalhe, o Footy é uma paixão mais precisamente Melbourniana, aqui da região mesmo. A cidade pára em dias de jogo, uma loucura!  Não é uma paixão nacional, como é o futebol brasileiro para nós. A maioria dos times tem sua origem nos subúrbios da cidade de Melbourne, o que gera uma certa rivalidade, mas nada comparado à rivalidade que nós brasileiros estamos acostumados! A paixão é na mesma intensidade, mas as pessoas se respeitam mais e respeitam a torcida de cada um. Enfim, a temporada da NAB Cup desse ano está só começando e a vida na cidade de Melbourne fica ainda mais agitada e deliciosa nesse período!

Se quiser saber mais sobre os times e a AFL, a Liga de Futebol Australiano, clique aqui!

100 ANOS DE PAIXÃO!

Paixão mesmo. A única palavra no mundo inteiro que define o que a gente sente.  Amor também definiria, mas dá a impressão de um sentimento mais calmo, mais maduro, que nem de perto demonstra o que sentimos.  Devoção também definiria, porque somos totalmente respeitosos, afetuosos e dedicados; mas transmite uma sensação de tranquilidade que muitas vezes nos escapa.   Alegria também definiria, porque quando vencemos, quando nos superamos ou superamos nossos obstáculos, o peito se enche da mais pura alegria; mas muitas vezes ficamos tristes e choramos juntos.  Fidelidade também definiria, porque somos conhecidos pelo codinome de “fiéis”, sempre presentes, sempre acreditando, apoiando, não importa a situação; mas pode parecer uma palavra demasiadamente racional.  também definiria, porque jamais deixamos de tê-la, mesmo nos minutos finais, quando tudo parece perdido; mas esbarra numa posição de confiança inabalável, segura, certa, quase matemática. Confiança também definiria, porque estamos sempre dando mais uma chance, defendendo e comprando briga, mesmo quando tudo parece errado, fora de lugar; mas seria completamente contraditória à nossa tão conhecida ira passional na hora da discussão. Certeza também definiria, porque se temos uma nessa vida, é que estaremos sempre torcendo, amando, sonhando, acreditando, compartilhando; mas roubaria de nós aquela coisa tão peculiar da expectativa, sempre recheada de surpresas. Comprometimento também definiria, porque qual de nós não deixou outras coisas na vida, porque era nosso dia em campo? Mas poderia soar como obrigação, e nunca, JAMAIS, encaramos dessa forma. Companheirismo também definiria, porque estamos sempre caminhando juntos, como um “Bando”, como uma “Nação”, com identidade própria; mas poderia transmitir a imagem de algo fechado, exclusivo, quando estamos sempre crescendo como TORCIDA, agregando mais e mais loucos ao longo da história. Vitória também definiria, porque conhecemos muito bem o sabor dela ao longo de tantos anos; mas poderíamos passar a falsa impressão de ganharmos SEMPRE. Ou seria a impressão verdadeira???

Porque fazemos parte de uma Nação Alvinegra que sabe viver aquela magia de hoje vencer e amanhã TAMBÉM, porque não importa o resultado; temos a certeza de experimentar a melhor sensação desse mundo, que é o privilégio de  SER CORINTHIANO! A palavra PAIXÃO define aquilo que somente nós,  os corinthianos, conseguimos compreender, sentir e viver, e meu desejo é que esses 100 de Glória se transformem em séculos e séculos de tradição, história, vitórias e conquistas alvinegras!

Parabéns, meu TIME! Corinthians: minha vida, minha história, meu amor!

 

Esse É O Meu Técnico!!!

“Começa nesta terça-feira uma nova era na Seleção: o técnico Mano Menezes fará sua estreia no comando do Brasil em amistoso contra o Estados Unidos, na cidade americana de Nova Jersey. Apesar do pouco tempo no cargo, o treinador já deixa claro que levará adiante suas duas missões: renovar a equipe e recuperar o jogo bonito.

Em sua primeira convocação, Mano selecionou jogadores jovens e técnicos – perfil diferente do preferido por seu antecessor, Dunga. Destaque do Santos no primeiro semestre, o trio santista formado por Neymar, Paulo Henrique Ganso e André ganhou sua primeira chance – exemplo do que pretende o novo treinador.

Além deles, outros sete jogadores são estreantes: os goleiros Renan, do Avaí, e Jefferson, do Botafogo; o lateral Rafael, do Manchester United (ING); os zagueiros David Luiz, do Benfica (POR), e Réver, do Atlético-MG; o volante Jucilei, do Corinthians; e o meia Éderson, do Lyon (FRA).

Por outro lado, Mano também buscou experiência em jogadores que disputaram o Mundial deste ano, na África do Sul. A ideia do técnico é, inicialmente, mesclar nomes destas duas gerações. Tanto que, em seu primeiro treino, no domingo, escalou Daniel Alves, Thiago Silva, Ramires e Robinho entre os titulares.

A Seleção deverá ter três estreantes nos 11 iniciais do amistoso de terça. Badalado na Europa, David Luiz é o favorito para formar a dupla de zaga com Thiago Silva. Já Ganso e Neymar, companheiros de Santos, treinaram como titulares do meio de campo.

O estilo de jogo também será diferente. Mano já indicou que irá manter o esquema 4-2-3-1 utilizado por Dunga na Copa. No entanto, a postura será nova: ao invés de explorar o contra-ataque, a Seleção deverá manter a posse de bola e pressionar o adversário no campo de defesa.

Adversário na estreia de Mano, os Estados Unidos jogarão com a base do time que chegou às oitavas de final do Mundial. Dos 18 convocados, 15 estiveram na África do Sul. A estrela é o meia Donovan, que atua pelo Los Angeles Galaxy (EUA).

FICHA TÉCNICA:
ESTADOS UNIDOS X BRASIL

Estádio: New Meadowlands, Nova Jersey (EUA)
Data/hora: 10/8/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Silviu Petrescu (CAN)
Auxiliares: Joe Fletcher (CAN) e Daniel Belleau (CAN)

ESTADOS UNIDOS: Howard, Cherundolo, Goodson, Bocanegra e Spector; Bedoya, Bradley, Donovan e Edu; Altidore e Gómez. Técnico: Bob Bradley.

BRASIL: Victor, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e André Santos; Lucas, Ramires, Neymar, Paulo Henrique Ganso e Robinho; Alexandre Pato. Técnico: Mano Menezes.”

Veja a matéria original : http://msn.lancenet.com.br/selecao/noticias/10-08-09/805279.stm?futebol-selecao-inicia-nova-era-em-amistoso-nos-estados-unidos

Em frente à loja mais linda do Brasil!!!

Corínthians X Flamengo No Pacaembu! Ganhou Quem Mereceu De Novo!

Chorei. De raiva. Na verdade, comecei a chorar nos últimos 5 minutos de jogo. Chorei de cansaço, de raiva, de saudade… Tudo-junto-misturado! Chorei por ter assistido à um Primeiro Tempo inacreditável, perfeito! Senti orgulho de ser corinthiana, por ver o time tão engajado, tão envolvido, jogando tão harmoniosamente… Tinha certeza que a gente ia conseguir! Vibrei, torci, gritei, como sempre… Acreditei, como sempre!

Mas preciso ser honesta de novo, como sempre procuro ser: no Segundo Tempo, o Flamengo acordou, começou a marcar o Corínthians e então o jogo se tornou um duelo de iguais! O que mais me irrita é que a gente teve o resultado nas mãos, tivemos a classificação de presente… Um presente muito bem conquistado, muito bem ganho, muito bem jogado! Um Corínthians como não tenho visto já há um bom tempo!

Mas não deu! De novo, não foi dessa vez… Dizer isso tem me cansado, sabe? Não foi dessa vez, não foi da outra vez, nem da outra vez… Ser corinthiano é muito intenso, muito emocionante, muito forte! Você fica feliz e triste muitas vezes, não existe calmaria prá nossa torcida! Achei que meu coração não aguentaria o jogo inteiro!

Bem, vamos lá! A gente cai e se levanta. Mas não podia deixar de registrar meu desapontamento aqui. Nem de registrar a piada de mau gosto, porém que faz todo sentido nesse momento: 2010, o Ano do “Cem Ter Nada”! Essa é a minha sensação agora, exatamente… Nas palavras de Marília Ruiz, para o Yahoo! Brasil:

“O Flamengo jogou o que não havia jogado. O Corinthians não jogou o que havia jogado. Não adiantaram as substituições. Não adiantaram os gritos da torcida. Fim do sonho corintiano. Em casa. Outra vez.”

Leia mais sobre o jogo clicando bem AQUI!

 

Corínthians X Flamengo? Ganhou Quem Mereceu!

Sou corinthiana mas NÃO SOU CEGA! Sou apaixonada, mas não idiota. Sou otimista, mas não ridícula. Sou mulher, mas entendo um pouquinho de futebol! E esse jogo me irritou um tantão! Vamos falar a verdade, amigos alvinegros? Que joguinho medíocre o Corínthians fez hoje!

Pelo amor de Deus! Com menos um, a gente conseguiu render aquela mixaria? Render não é bem a palavra, talvez sobreviver; porque poderia ter sido um massacre! Sóbrio e sábio foi Mano Menezes no intervalo, nada animado por termos um jogador a mais. Ele sabia que isso não significaria nada, se o time não fizesse sua parte… Dito e feito!

Sinto por esse jogo (ridículo) de hoje… E, o pior, se continuarmos jogando assim, podemos desistir do sonho da Libertadores no Ano do Centenário! E acho que não posso terminar sem falar que o Flamengo arrasou! “Superação e perseverança”, foram as palavras usadas por Casagrande, no final do jogo! Foi isso mesmo! Infelizmente, eis aqui uma corinthiana reconhecendo a superioridade do time adversário! E viva o BOM FUTEBOL!

Quer saber como foi??????  CLIQUE AQUI!