Nada Na Vida É Para Sempre…

Pode até parecer fatalista. E é. Mas a verdade é que as coisas sempre são passageiras; as situações mudam constantemente, num simples piscar de olhos. E eu precisei mudar de rotina, de país e de vida, para entender plenamente essa verdade. Confesso, sem falsa modéstia e nem sombra de hipocrisia, que estou muito orgulhosa de mim mesma. Por anos à fio, tive a sensação de que eu era extremamente madura, absolutamente sábia e experiente, por muitas coisas que tive que superar nessa vida, mas hoje vejo aquela petulância inerente às pessoas jovens, que acreditam SABER TUDO! Não consigo evitar uma boa risada ao pensar nisso…

A vida me surpreendeu. Esses quase 3 anos de vivência no exterior me amadureceram mais do que todos os outros vividos na minha então zona de conforto. Posso afirmar que tenho sido transformada. E gosto de quem estou me tornando. Gosto do que a vida tem feito em mim. Fato. Mas essa semana tenho experimentado algo muito novo, que tem trazido um grande alento ao meu coração… Mais uma vez, grandes amigos estão indo embora. Pessoas com as quais a gente se envolveu, compartilhou, amou, chorou, riu, dividiu, somou, e agora somos obrigados à subtrair! Já falei aqui mais de uma vez, que uma das piores coisas para mim é essa eterna sensação de que, em breve, vamos nos despedir de mais alguém. Nem todo mundo veio para ficar. A maioria tem um tempo determinado, com planos de volta ao Brasil ou seu país de origem.

Quando recebi a notícia da data de embarque deles (fui a primeiríssima a saber), meu coração acelerou. Imediatamente entrei no meu processo de estimação de reclamação mental, de “coitadismo” interior, pensando que eu não precisava passar por isso, DE NOVO! Há 3 anos vivo essa coisa de me despedir, constantemente… E olha, se eu tivesse uma caixa de bombons por perto, teria me afundado nela, iniciando (com consciência!) um processo depressivo. Mas fiz o que eu tinha ao meu alcance, até porque estou de dieta: falei com Deus! E no meu processo de “terapia com o Todo-Poderoso”, comecei a enxergar algo diferente brotando em mim. Notei, lá fundo, um certo desejo de não me entregar, de não me deixar abater, mas de procurar responder à esse momento com amadurecimento, deixando a “menininha mimada” dentro de mim totalmente desconcertada!

Comecei a pensar no quanto eles estão felizes por voltar. E me alegrei junto. Comecei a pensar o quanto foi bom todo esse tempo que caminhamos juntos. E agradeci pela oportunidade de conhecê-los. Comecei a pensar em quantas vezes ainda terei que me despedir de pessoas que amo. E decidi aproveitar com alegria cada segundo que me for dado em companhia deles. Então eu entendi. Realmente estou mudando. Estou evoluindo. Como pessoa. O amadurecimento tão sonhado está batendo à minha porta. E a resposta a ele é de minha inteira responsabilidade. A escolha de ficar sofrendo e chorando, me lamentando e lambendo as minhas feridas, ou me sentindo uma coitada, é MINHA! Que libertador isso! E me levantei, decidida a ser autora da minha própria história. Decidida à usar tudo o que a vida tem me dado para construir a pessoa que quero efetivamente me tornar.

Aos nossos amigos que estão indo, só tenho à agradecer. Por absolutamente TUDO. Mas principalmente, porque sei que esse tempo juntos foi apenas o começo de uma história de amizade que vai durar, independente de distância. E porque, mesmo sem saber, eles ainda estão me ajudando a me conhecer mais, me respeitar mais e me ver, definitivamente, como a mulher forte que eu realmente estou me tornando… Obrigada, meus queridos! Eu amo vocês três. Mais do que nunca!

Nossa "família" aussie!
Anúncios

Ano Novo, Velhos Consertos…

Depois de um sumiço praticamente natural (e humano!), porque dezembro é um mês abarrotado de compromissos, eu não poderia deixar o Ano Novo chegar e o Velho se despedir sem uma mensagem para meus leitores. Recebi um email de um amigo brasileiro muito querido, por ocasião das Festas de Fim de Ano, sem saber que realmente seria uma mensagem inspiradora para mim. Pesquisei então sobre a autora do texto anexado ao email e me deparei com a escritora Regina Brett! Mais do que um texto, uma filosofia de vida! Vou começar 2011 tentando praticar muitos dos ensinamentos de Regina. Digo tentando, porque será a construção de uma vida inteira, não apenas resoluções de Ano Novo!

Regina escreveu as primeiras quarenta e cinco lições, ao completar 45 anos. Depois, aos 50, inseriu as últimas cinco lições. Peço à Deus que me ajude a envelhecer pelo caminho que ela sugeriu, crendo que poderei também escrever algo de tanto valor, quando chegar meu próprio tempo de amadurecimento.

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, apenas dê o próximo pequeno passo.
3. A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.
4. Não se leve tão à sério. Ninguém mais leva…
5. Pague suas faturas de cartão de crédito todo mês.
6. Você não tem que vencer toda discussão. Concorde para discordar.
7. Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.
8. Está tudo bem em ficar bravo com Deus. Ele aguenta!
9. Poupe para a aposentadoria, começando com seu primeiro salário.
10. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão.
11. Sele a paz com seu passado para que ele não estrague seu presente.
12. Está tudo bem em seus filhos te verem chorar.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que se trata a jornada deles.
14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe, Deus nunca pisca.
16. A vida é muito curta para longas piedosas festas. Esteja ocupado vivendo ou esteja ocupado morrendo.
17. Você pode fazer tudo se começar hoje.
18. Um escritor escreve. Se você quer ser um escritor, escreva.
19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de você e mais ninguém.
20. Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite não como resposta.
21. Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante. Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Se prepare bastante, depois deixe-se levar pela maré..
23. Seja excêntrico agora; não espere ficar velho para usar roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela sua felicidade, além de você.
26. Encare cada chamado “desastre” com essas palavras: em cinco anos, vai importar?
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo a todos.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo.
31. Independentemente se a situação é boa ou ruim, irá mudar.
32. Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus amigos e seus pais vão. Mantenha contato.
33. Acredite em milagres…
34. Deus te ama por causa de quem Deus é, não pelo o que você fez ou deixou de fazer.
35. O que não te mata, realmente te torna mais forte.
36. Envelhecer é melhor do que a alternativa: morrer jovem…
37. Seus filhos só têm uma infância. Faça com que seja memorável.
38. Leia os Salmos. Eles tratam de todas as emoções humanas.
39. Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos jogássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os de todo mundo, escolheríamos os nossos de volta.
41. Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela AGORA!
42. Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeroso.
43. Tudo o que realmente importa no final é que você amou.
44. Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
45. O melhor está por vir.
46. Não importa como você se sinta, levante, vista-se e apareça.
47. Respire fundo. Isso acalma a mente.
48. Se você não pedir, você não recebe.
49. Produza.
50. A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente!!!

Feliz ANO NOVO! Feliz VIDA NOVA!

175 Anos De Encanto!

Hoje Melbourne comemora seus poucos 175 anos! Uma cidade relativamente jovem, mas muito “madura”! É  a segunda maior cidade da Austrália (fica atrás apenas de Sydney em população!), contando com mais de quatro milhões e meio de habitantes! Depois de viver aqui por 2 anos, sou capaz de me apaixonar de novo todo dia por essa cidade! Meu marido vira e mexe recebe algumas propostas de trabalho em outros lugares e já sabe da resposta: “se estiver disposto à ir sozinho, passar a semana fora e voltar aos finais de semana, fique à vontade!” Só saio daqui para… sei lá onde! Não tenho planos de mudar-me daqui tão cedo, ou talvez nem tão tarde!!!

Tipicamente metropolitana, a cidade conserva suas origens vitorianas, seus prédios e construções maravilhosamente restauradas, somadas à uma modernidade invejável, dando um clima único ao Centro e suas imediações! Passear a pé pela cidade é um dos meus programas preferidos, para observar os prédios, cafés, restaurantes, jardins milimetricamente bem cuidados, obras de arte pelas ruas… Apaixonante!

Sinto-me TÃO privilegiada e presenteada por viver aqui, que peço à Deus sempre para me lembrar de NÃO ME ACOSTUMAR com tudo isso. Não quero viver como muitas pessoas, que de tanto ver, passar pelos lugares, viver ali, acabam achando normal, comum… Deixam de se surpreender com a cidade, com suas pequenas surpresas ao longo do caminho, deixam de admirar o que temos aqui. Tento sempre viver como TURISTA, admirando, parando, observando, curtindo cada momento e ( por que não???) fotografando sempre que possível.

Lembrei-me de uma frase que postei logo que cheguei aqui na Austrália, há dois anos atrás, e ainda hoje, tento vivê-la de todo o meu coração: “Uma pessoa comum maravilha-se com coisas incomuns; um sábio maravilha-se com o corriqueiro” – Confúcio (séc. IV a.C.). Melbourne é efetivamente um lugar incomum, mas a sabedoria vem por não permitir que a rotina e o dia-a-dia a transformem em algo corriqueiro! E escrevi também: Quero ter o dom, o talento, a sabedoria que vem do alto, prá valorizar cada pequeno detalhe…  E fico extremamente feliz em ter pensado assim desde o começo e, mais ainda, por estar de fato vivendo da forma como me propus: me encantando e me apaixonando de novo e de novo por esse lugar mágico!

À beira do Yarra River
Melbourne vista de Southbank
Em Southbank
Jantando à beira do Yarra River
Vista noturna em frente ao Crown Casino

“Depois De Um Ano Passa…” Mentira, Passa Nada!!!

Não tenho muita certeza se contei isso aqui no blog, mas acho que sim! Claro que não consigo me lembrar de tudo que já bloguei, mas me esforço… Bem, do que estou falando? Desde que cheguei aqui, ia conversando com as pessoas e elas sempre me diziam, em sua maioria, que depois de um ano as coisas melhoram, que a gente se acostuma e começa a ter uma vida diferente, se sentindo “em casa”… Especialmente os brasileiros, que sempre quiseram me animar e destacar as vantagens e (des???) vantagens de viver fora do Brasil… Digo vantagens e vantagens porque é assim mesmo que soa aos meus ouvidos:” viver aqui é tudo de bom”!

Longe de mim ser uma pessoa ingrata, cega ou até mesmo mal agradecida, em relação à tudo que a vida tem me proporcionado (quem lê meu blog sabe o quanto falo bem de tudo por aqui, até mais que deveria, eu acho…), mas a verdade é uma só: NÃO PASSA! Estou comemorando (será mesmo?) um ano e meio de Austrália! Moro numa casa legal (beeeemmm legal, acredite!), num bairro lindo (coisa de filme), numa cidade maravilhosa (nada à ver com o Rio de Janeiro, mas maravilhosa) e quando as pessoas leêm, ou ouvem isso, ou sabem disso de alguma forma, sempre imaginam um verdadeiro paraíso na Terra!

Estou cansada de receber recados, emails, comentários, de gente achando que viver aqui é o melhor que se pode ter no mundo, uma vida de “glamour” como brincam alguns ou de viagens, como perguntam outros, ainda hoje: “E a viagem, como está?” Que viagem, meu Deus do Céu??????? Não estou fazendo turismo, gente; tenho vida real como todo mundo! Tenho que lavar, passar, cozinhar, trabalhar, fazer dieta e exercícios, como todas as pessoas normais! E ainda tenho que fazer tudo isso em Inglês, tentando entender e me fazer entender diariamente, tentando ter certeza de que estou dizendo (e ouvindo) a coisa certa até prá comprar uma coisa besta no supermercado!

E o pior de tudo isso: temos que conviver com essa saudade insuportável, essa coisa apertada na garganta cada vez que a gente vê uma foto no orkut, cada vez que recebe uma carta ou email de alguém que você ama, cada vez que fica sabendo de um problema que você sequer poderia resolver se estivesse lá perto, mas poderia abraçar as pessoas e dizer o quanto se importa, mesmo não podendo fazer absolutamente  nada! Não passa… Definitivamente, não passa… A vontade de estar perto à cada aniversário de uma pessoa importante prá você, em dias de festas especiais ou feriados, em ocasiões que você realmente sente um buraco dentro do peito, um rombo no estômago, um sentimento quase incontrolável que faz você repensar no porquê de estar tão longe… sabe uma sensação de pensar “eu quero voltar prá casa???”

Não quero desanimar ninguém que está vindo prá morar, nem estudar, ou o que seja; apenas gostaria que as pessoas soubessem como muitos de nós nos sentimos longe da família, dos amigos, da nossa vida! E dizer àqueles que, como eu, estavam esperando “passar”, que a gente se acostuma sim, que a vida continua sim, que as coisas acontecem sim, mas é preciso saber viver com a falta de coisas e pessoas insubstituíveis na vida da gente… Têm dias que a deprê chega forte, que o choro fica insistindo em saltar de dentro da gente e que a TPM piora anos-luz! Hahahahaha! E aprender à conviver (e controlar!) isso tudo é que é o VERDADEIRO DESAFIO de morar no exterior… Sem dúvida alguma, quando eu for embora daqui, a maior conquista não terá sido um super Inglês, um curso legal, uma posição melhor ou um salário gigante… Terá sido, sem nenhuma dúvida, um caráter menos frágil  e um domínio próprio mais crescidinho, sem achar que o mundo roda porque estou nele! E viva o crescimento interior!!!

 

Aniversário Número 2 Na Austrália!

Pois é, chegou de novo! Meu segundo aniversário longe de casa, dos amigos da família, do meu país… Pensando assim, você até começaria à ficar triste no início desse post, imaginando como deve ser difícil um momento como esse! Porém, esse é um post de muita alegria, de um coração grato e que está verdadeiramente feliz por estar aqui, bem onde estou, do outro lado do mundo!

Esse foi um aniversário MUITO diferente! Um ano e 4 meses depois, posso dizer sem medo algum que amei estar aqui, que foi tudo muito especial, ao lado de pessoas incríveis, amigos de valor inestimável, uma família que temos verdadeiramente construído aqui em “Tão Tão Distante”! Amigos que me presentearam, que escreveram cartões muito carinhosos (AMO isso demais!), que estiveram presentes prá brindar comigo e celebrar mais um ano de vida!

Quero agradecer à cada um, pela presença carinhosa, pelas palavras de incentivo e especialmente pelos momentos que temos dividido ao longo de nossos dias, de nossa caminhada diferente, porque somos realmente privilegiados por viver “O” sonho de morar longe de casa, mas construindo um futuro e adquirindo experiências indescritíveis…

Agradeço de coração também aos que mandaram emails, mensagens de texto, recados no orkut, aos que telefonaram… Aos que, mesmo no Brasil, lembraram de mim e tentaram estar presentes, de uma forma ou de outra… Adorei cada segundo de tudo isso! E agadeço de um jeito muito especial, à minha amiga querida Thaís, que veio de Sydney, com seus queridos pais Gilson e Marinês, pessoas maravilhosas, e passaram o dia do meu aniversário comigo, tornando tudo muito mais especial, fazendo turismo e nos divertindo durante o dia! E agradeço de coração, pelo presente mais lindoooo que eu poderia ter ganho nesse fim de ano! Claro que ganhei um monte deles, um mais lindo que outro, e amei todos! Mas o presente que essa família tão fofa me trouxe, ganhou meu coração: uma camiseta do Timão, ROXA! Combina perfeitamente comigo, dentro e fora do coração! OBRIGADA, mais uma vez!!! Inesquecível!!!

E antes de acabar, aproveito prá dar os parabéns para a minha irmã querida, que faz aniversário comigo, nesse dia tão lindo! Te amo, minha irmã! Te desejo TUDO DE MELHOR nessa vida… Saudades!

 

 

O bolo mais lindo que já tive na vida, meu presente predileto e a família querida de brasileiros fazendo turismo em Melbourne!

Só Pode Ser Na Austrália!!!

Existem algumas notícias que, quando eu vejo, logo vem à minha cabeça: isso só acontece na Austrália mesmo! Hahaha! Semana passada fomos surpreendidos com as notícias sobre a tempestade de areia vinda do deserto, em Sidney e alguns outros pontos do país! Coisa mais linda de se ver! Nas fotos, claro! Não estava lá, mas vi cada imagem maravilhosa (veja abaixo)! E hoje, ao entrar no meu MSN, me deparo com uma foto INCRÍVEL! Comecei a ler a notícia e pensei: of course, só pode ser australiano!!!

Jon Durand, de 28 anos, foi o primeiro “hang-glider” (um cara que voa de asa deltas!) a fazer acrobacias numa “Morning Glory” em todo o mundo! Calma, vou explicar! A chamada “Morning Glory” é um raro fenômeno meteorológico observado apenas no Golfo da Carpentaria, no norte da Austrália! É uma nuvem em forma de tubo, que pode ter 1000 km de extensão e entre 1 a 2 km de altura e pode se mover a 60 km por hora. Pode ser descrita como uma “onda solitária”, com apenas uma crista e se move sem mudar de velocidade ou forma! (ver Wikipedia, apenas em Inglês).

O cara disse que esse foi o melhor momento da vida dele (tão óbvio!), mas que também foi o mais assustador, porque era como uma Tsunami no céu! Chega de blá blá blá! As fotos falam por si mesmas! Vejam que coisa mais incrível! Não me canso de dizer: DEUS FOI MUITO BOM COM A AUSTRÁLIA! Vendo essas coisas, começo a questionar o famoso dito popular de que “Deus é brasileiro”! Prá mim, Ele deve ser é australiano! Hahaha!

 

Casadathais

 

Ponte

 

antesedepois

Fotos da tempestade em Sidney, cedidas pelo orkut da minha amiga Thaís!

sky1

 

sky4

 

sky5

Gliding with “a Tsunami in the sky!”

Fotos e reportagem:  Nine MSN Australia

Há Exatamente UM ANO Atrás!

Quinta-feira, 28 de agosto de 2008. Dia de sol. Correria. Ansiedade. Malas. Bagunça. Risos nervosos. Lágrimas. Dúvidas. Risos verdadeiros. Lágrimas de novo. Abre as malas. Aperta as coisas dentro. Fecha as malas. Detalhes. Paga contas. Cancela coisas. Telefonemas. Café com os amigos. Shopping. Malas. Mais bagunça. Peraê, volta! Shopping??? No dia da viagem prá Austrália? Isso mesmo! Compras de última hora, claro! Volta do shopping correndo. Banho correndo. Amigos se despedindo. Malas. Procura. Não encontra. Passaporte. Passagens. Lágrimas. Despedidas. Abraços. Amizade. Alianças. Lágrimas. Van. Malas. Últimos abraços. Torpedos no celular. Aeroporto. Check-in. Malas. Mais torpedos. Surpresa. Amigos. Família. Risos de adeus. Pizza. Abraços. Lágrimas. Promessas. Até breve!

 

DSC00002